Posts com Tag ‘segurança pública’

Diariamente vemos viaturas da Guarda Municipal circulando por Novo Hamburgo. A maioria das pessoas sabe que os agentes são responsáveis pelo controle e fiscalização do trânsito. Porém, as atribuições da Guarda são muito mais amplas. Diversas conquistas foram realizadas ao longo dos seus 16 anos e novos projetos estão sendo debatidos e colocados em prática.

Histórico

primeira-turma-da-guarda-1992.jpgA Guarda Municipal de Novo Hamburgo foi criada no dia 8 de janeiro de 1990 tendo como finalidade proteger os bens, serviços e instalações do poder público municipal, oferecendo segurança à comunidade. Mas somente 1992 foi efetivada a contratação da Guarda, que teve como seu primeiro diretor o Coronel da Polícia Militar da Reserva Antônio Francisco Mesquita Salgado.

Após o processo seletivo realizado em março do mesmo ano, a corporação iniciou o curso de formação dos agentes. No dia 9 de maio de 1992 a Guarda, composta por 180 profissionais, passou a ser empregada nas ruas.

Quatro anos depois, assinou-se um convênio com o Governo do Estado para que a Guarda Municipal passasse a atuar na fiscalização do trânsito na área central da cidade. Assim, liberaram-se os Policiais Militares desta tarefa, que passaram a operar diretamente na segurança pública.

No dia 15 de janeiro de 1997 a Corporação iniciou suas atividades de fiscalização de trânsito e tornou-se referência como a Guarda Municipal mais preparada e equipada do Rio Grande do Sul. Um ano depois, Novo Hamburgo é a primeira cidade do Estado a assumir a municipalização do trânsito.

Foto: Daniela Machado
atual-sede-da-guarda.jpgA Guarda teve sua primeira sede no bairro Rio Branco, tendo passado depois para o Centro Administrativo Leopoldo Petry no bairro Canudos, voltando para o bairro Rio Branco e em 2006 se instalou no antigo Fórum de Novo Hamburgo, localizado na Rua Bento Gonçalves, 606, bairro Pátria Nova, onde permanece até hoje.

Na sede funciona o Cartório de Trânsito, o qual é responsável por cópias autenticadas de Boletim de Acidente de Trânsito e Auto de Infração de Trânsito. Além disso, no local podem ser encaminhados Defesa ou Recurso de Infração de Trânsito.

A Guarda

Atualmente 199 guardas estão em atividade na cidade, sendo 159 homens e 42 mulheres, que orientam, controlam e fiscalizam o trânsito nas vias de sua competência.
A Guarda Municipal possui uma frota de 12 motos e 14 viaturas, que circulam 24 horas por dia na cidade, dispondo ainda de equipamentos e armamento.

carros.jpgA Corporação é responsável por atender toda a rede de ensino municipal, postos de saúde, secretarias, parques, praças e prédios públicos. Além disso, a Guarda participa de operações integradas com a Brigada Militar, Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal.

Uma equipe de agentes atua conjuntamente com a Secretaria municipal do Meio Ambiente. Os guardas operam também com os Policiais Militares no Centro Operacional Integrado de Vigilância Eletrônica (COIVE), onde existem 19 câmeras eletrônicas que monitoram 52 ruas no Centro da cidade e no bairro Canudos.

Tendo como lema Protetor e Amigo, os guardas participam de cursos de formação, reciclagem e aperfeiçoamento para que possam estar habilitados a auxiliar nas dificuldades da segurança pública.

Educação Preventiva

Desde 1993 a Guarda Municipal trabalha com a questão da educação preventiva nas escolas voltadas à preservação do patrimônio público, meio ambiente e trânsito. Em 2000 formou-se o grupo de teatro Canal Livre. Atualmente o grupo é composto por seis guardas que realizam apresentações em escolas, empresas e entidades sociais, além de participarem das blitz educativas de trânsito.

palestras-e-teatro.jpgComo proposta alternativa para o exercício da cidadania entre as crianças, criou-se a Guarda Mirim. O projeto atende atualmente 38 crianças entre 07 e 12 anos, que se reúnem todos os sábados na sede da Guarda Municipal para ter lições de cidadania, convivência social e disciplina.

“Através da participação na Guarda Mirim, as crianças tomam maior consciência da importância de se ter uma boa conduta no trânsito. Futuramente elas serão bons motoristas e multiplicadores destas ações”, explica a Diretora da Guarda Municipal, Eliane Luiza Schmidt.
O serviço de ouvidoria funciona desde 2006 atendendo a população que pode fazer sugestões e reclamações, além de elogios sobre a atuação da Guarda. A participação da comunidade é feita diretamente na sede ou pelos telefones (51)3524.87.37 e 3524.87.38.

Após o contato, o assunto passado pelo contribuinte é encaminhado para a Secretaria Municipal de Segurança, Trânsito e Transporte (SEMTRAS), que analisa cada caso e o encaminha para a Corregedoria da corporação.

A comunidade também pode agilizar o contato com a Guarda através do telefone 153. Neste caso, a população auxilia o trabalho dos agentes fazendo denúncias de irregularidades, como vandalismo em praças, prédios públicos e no trânsito da cidade.

“Nosso trabalho é voltado para a comunidade hamburguense, por isso sempre que as pessoas entrarem em contato conosco, por mais que a resposta não seja dada de imediato, estaremos averiguando o caso e encaminhando as soluções”, diz o Comandante da Guarda Municipal, Gilberto Virkoski da Silva.

Os projetos para 2008

Diversos projetos estão em discussão e serão postos em prática neste e nos próximos anos. No ano passado, grande parte dos Guardas Municipais participou do curso da Polícia Comunitária na cidade de Santo Ângelo.

blitz.jpgNeste ano, o projeto começou a ser implementado nos bairros Centro e Canudos com o objetivo inicial de reforçar o patrulhamento em horários de picos nas vias de maior fluxo dos bairros. “As patrulhas do bairro Centro e Canudos são nossas células inicias de ação da Polícia Comunitária. Elas ficam em ruas de grande movimentação fazendo o patrulhamento até as 21horas”, descreve a Diretora Eliane.

Até o final de 2008 o reforço se estenderá aos demais bairros da cidade. Segundo a Diretora Eliane, sempre estarão presentes os mesmos guardas “Quando a mesma guarnição é mantida os Guardas acabam reconhecendo as pessoas que residem naquele bairro e criam um vínculo de confiança com elas. Deste modo, quando os moradores observarem alguma irregularidade terão proximidade para buscar auxilio com os agentes”, explica.

A Diretora e o Comandante

A Diretora Eliane Luiza Schmidt, 42 anos, iniciou na Guarda Municipal desde o surgimento da mesma na cidade. Trabalhou no patrulhamento até 2005, quando passou a atuar na diretoria. “A Guarda é a minha família. Sempre gostei desse trabalho e é uma honra participar há 16 anos dessa Corporação”, finaliza.

Foto: Daniela Machado
diretora-eliane-e-comandante-gilberto.jpgHá dois anos Gilberto Virkoski da Silva, 38 anos, é o Comandante da Guarda Municipal de Novo Hamburgo e também integra a corporação há 16 anos “É uma satisfação muito grande estar à frente de uma instituição como essa e comemorar mais um ano de sua atuação na cidade de Novo Hamburgo”.

O Comandante Gilberto se diz muito grato à população hamburguense. “Gostaria de agradecer a parceria da comunidade que sempre colaborou com a realização do nosso trabalho e convida – lá para participar das nossas atividades de aniversario.”

O aniversário de 16 anos

Para comemora o 16° Aniversário da Guarda Municipal de Novo Hamburgo foi organizado uma semana repleta de atrações. A programação iniciou na segunda-feira e se estende até o sábado. Entre as atividades, está o Tradicional Baile da Guarda Municipal e o Torneio Interno de Futebol de Salão.

Confira programação completa das comemorações de aniversário

Reportagem publicada no site Novo Hamburgo.org

Anúncios


1179526197_violencia21.jpgAtualmente falamos sobre assaltos, estupros, violência contra mulheres e crianças, tortura e morte como se fossem questões banais da vida cotidiana. Ontem tive a certeza disso.

Ao meio-dia peguei um ônibus que faz a linha Novo Hamburgo/São Leopoldo para me dirigir ao trabalho e, como de costume, sentei no penúltimo banco. A sonolência clássica que nos domina após o almoço estava começando a tomar conta do meu corpo. Recostei-me na janela e já estava preparava para tirar aquela pestana, quando um homem jovem e bem arrumado adentrou no transporte coletivo no bairro Boa Saúde, Novo Hamburgo.

A princípio parecia um passageiro como outro qualquer, menos por um motivo: a faca que segurava na mão direita. Em questão de segundos aquela arma pontiaguda apontava em direção ao cobrador. Guiado pelos seus instintos, ele reagiu e travou uma luta pela com o assaltante.

Num primeiro momento coloquei a mão dentro de minha bolsa para retirar o celular e o pen drive e os esconder debaixo do banco. Mas o pânico foi tão grande que acabou paralisando os meus movimentos, a única coisa que se mexia no meu corpo num ritmo alucinante era o coração. Uma mulher que estava sentada próxima ao cobrador levantou-se na tentativa de sair pela porta, contudo ela estava fechada e o ônibus seguia em movimento. A mulher acabou por desistir da idéia, sentou-se ao meu lado e agarrou-se no meu braço.

Enquanto isso, o cobrador conseguiu tirar a faca da mão do criminoso, mandou o ônibus parar e o expulsou da condução. Aquele homem possuído pela raiva de não ter conseguido roubar alguns trocados, ameaçou voltar com um revólver.

A viagem seguiu normalmente e sem eu ver sequer uma viatura da polícia. A mulher sentada ao meu lado tremia. Minhas pernas estavam moles e minha boca aberta. Perguntei ao cobrador se ele estava bem e, aparentemente, parecia estar calmo. Na hora do desembarque o alertei para nunca mais reagir, pois ele poderia ter se ferido caso não tivesse conseguido dominar o bandido. O cobrador pareceu não aceitar a minha opinião e disse que já havia sido assaltado outras vezes.

Quando perguntei se iríamos registrar a ocorrência, a resposta foi “não”. O vendedor de vassouras que estava sentado próximo a mim, garantiu que o bandido é conhecido dos moradores do bairro, pois já assaltou vários estabelecimentos comerciais.

Passei o dia pensando naquele assaltante jovem e bem aprumado. Hoje em dia o bandido não é mais um maltrapilho que usa roupas rasgadas e um boné sujo. Agora ele usa terno ou roupas de marca e gel no cabelo.

Com certeza aquele homem estava pronto para invadir outro ônibus, uma casa ou um comércio. Os seus assaltos, assim como os de outros criminosos, tornaram-se corriqueiros e as pessoas não acreditam mais na polícia. Pra que denunciar? Só se gasta tempo e ainda se corre o risco do bandido voltar para se vingar.

O pior de tudo não é as pessoas se acostumarem com os assaltos, mas é a banalização de nossas vidas. Quando não denunciamos esses criminosos estamos dando a eles a chance de acabarem com vidas inocentes. Alguém ainda lembra do menino João Hélio Fernandes? Eu lembro e não quero que isso aconteça com os meus parentes e amigos.

Meu avô conta que antigamente não se colocava cadeado nas portas, mas apenas uma tramela para os animais não entrarem dentro de casa. Hoje erguemos muros, colocamos grades, cerca elétrica, cães de guarda e pagamos segurança particular. Além disso, repassamos diariamente e-mails aos nossos conhecidos com dicas de segurança e alertas para não caiam nos inúmeros golpes espalhados por aí. Cadê a melhoria da segurança, a contratação de novos policiais e a compra de novas viaturas prometidas a cada eleição pelos candidatos a presidente, deputado, governador, prefeito e vereador?

Quero deixar registrado aqui as minhas dicas. Nunca reaja e sempre denuncie aqueles que estão praticando atos ilícitos. Comece a prestar mais atenção antes de sair de casa e do trabalho, observe bem as pessoas e os lugares por onde passa, ande sempre em lugares movimentados, não faça à mesma rota todos os dias e nunca saia sem alguns trocados, várias pessoas já morreram por não terem nada de valor. Precisamos dar mais valor a nossa vida, o amanhã pode não chegar, muitas vezes, pela falta de segurança pública.

Texto publicado no site Portal3 e no site Novohamburgo.org