Posts com Tag ‘mulheres’

Mulheres são sinônimos de beleza, inteligência e superação

No dia 08 de março, Dia Internacional da Mulher, costumamos receber diversos e-mails, principalmente de marcas de roupas e calçados, parabenizando as mulheres pelo seu dia e falando das promoções especiais feitas exclusivamente para a data. Nos jornais impressos, sites, programas de rádio e televisão lá estão às homenagens para mulheres famosas, guerreiras e batalhadoras.

E, por mais que este seja o primeiro ano que temos uma presidenta do Brasil, quando penso em mulheres que são exemplos de superação, lembro-me daquelas que fazem – e fizeram – parte do meu cotidiano: mães, avós, bisavós, tias, madrinhas, irmãs, amigas e professoras.

Foram elas que me ensinaram brincadeiras e receitas; mostraram como cuidar e limpar a casa, o carro e uma criança; deram o passo a passo de uma maquiagem e da forma correta de se vestir em casa ocasião; incentivaram a leitura, os estudos e a escolha de uma profissão; passaram seus valores sobre respeito, educação, cidadania e cultura.

As mulheres do meu cotidiano nunca me deixaram desanimar, desistir ou temer. As mulheres do meu cotidiano explicaram as diferenças entre seguir o caminho certo e o errado. As mulheres do meu cotidiano discutiram comigo sobre religião, política, relacionamentos e futilidades. As mulheres do meu cotidiano me ensinaram os verdadeiros valores de uma mulher.

Poemas, canções, serenatas e declarações feitas até hoje não conseguem expressar o quanto as mulheres são magníficas, maravilhosas e maiúsculas. A todas às mulheres do meu cotidiano, que embelezam dia a dia a minha vida, muito obrigada!

Personalidade é uma palavra em baixa nestes últimos tempos. Na verdade, algo que caiu no esquecimento de muitas pessoas.

Vestido bandage

Fui a uma formatura de segundo grau no final do ano e fiquei impressionada com a quantidade de meninas se vestindo de forma igual. Vestidos e saias no estilo bandage (curtos, bem colados e de uma só cor) faziam parte do look de 99% das garotas que estavam se formando. Completavam o visual saltos altíssimos, cabelos lisos e muita maquiagem.

Para se ter uma ideia do quão curto eram os modelitos, elas  precisavam segurar as saias na hora se subir os degraus do palco. Pensei que era algo apenas entre os adolescentes, mas no início do ano fui a uma festa onde entravam apenas pessoas acima dos 21 anos e me deparei com o mesmo cenário. Recebi diversos olhares de desaprovação pelo meu vestido colorido e soltinho.

Nada contra a moda bandage, mas fico me perguntando se estas mulheres não se importam de serem exatamente iguais umas as outras. Logo elas, jovens e bonitas, que sempre tentam se destacar umas das outras e vivem em um clima de “competição”. Logo elas, que se dizem tão independentes, mas que dependem totalmente da personalidade das outras para existirem na sociedade.

Tudo bem que o mundo da moda sempre girou em copiar aquilo que é apresentado nas passarelas e no corpo das celebridades. Porém, nunca vi tanto ctrl+c e ctrl+v no mundo real. Até então, os modismos eram tratados como tendências e cada um se apropriava daquilo que lha caísse melhor.

Amy soltando a voz em Santa Catarina

Amy fazendo show em Santa Catarina

Falam tão mal da Amy Winehouse e ela é um dos maiores exemplos de personalidade própria que conheço. Apesar dos seus vícios, ela não foi na onda de clonar as demais cantoras populares para ter fama. Não liga para modismos e não precisa fazer coreografias para impressionar ninguém, afinal o negócio dela é cantar, e muito!

Artigo publicado no site Novohamburgo.org

MulheresAs águas de março anunciam o fim da estação mais quente do ano e também da dieta forçada. Durante três meses uma grande parcela da população feminina controlou o desejo de comer um delicioso prato de macarronada e virou amiga inseparável da alface e do frango grelhado. Sobremesa? Esquece! Só frutas da estação, no máximo um picolé de limão.

Academia lotada, clínicas de estética com falta de horários. Lipos, drenagens, massagens e tudo mais que possa ser útil para perder aqueles quilos a mais. E pra que tudo isso em época de Mulher Melancia, Mulher Moranguinho e até Mulher Salada de Frutas? A obsessão por um corpo perfeito é uma das maiores preocupações da mulher atualmente.

A calça favorita não fecha mais, a blusinha usada apenas uma vez está um pouco apertada. Tudo isso frustra uma mulher, e muito! Mas uma gordurinha a mais não significa que você ficou menos feminina ou feia. Stress, trabalho, correria, estudo, ansiedade, filhos. Vários fatores contribuem no aumento do peso, isso tudo porque você simplesmente não tem mais tempo para cuidar de si própria.

Neste dia tão especial quero mostrar o que é ser uma mulher de verdade. Não estou me referindo às modelos internacionais ou as estrelas de Hollywood. Falo daquelas mulheres que acordam cedo para trabalhar seja em uma empresa ou em casa. Daquelas mulheres que fazem milhares de coisas ao longo do dia e a noite vão estudar ou para casa ficar com o marido, cuidar dos filhos, dos irmãos, dos netos…

Mulheres de verdade são aquelas que usam saia mais comprida para esconder as varizes, tentam controlar a celulite e as estrias com cremes, escondem as tenebrosas espinhas que insistem em aparecer “naqueles dias” com base, devoram com muita vontade uma barra de chocolate na TPM e tem um arsenal de roupas pretas para afinar o corpo.

Posso falar de muitas qualidades destas mulheres do mundo real, mas não vai adiantar, afinal, que mulher está satisfeita com o seu corpo? São poucas que se aceitam como são. A amiga magérrima, o inimigo chamado espelho e a baixa auto-estima contribuem para aumentar em várias vezes aquelas gordurinhas localizadas. Mas faça o teste, pergunte para seus amigos se eles preferem uma magrinha ou uma mulher com mais substância. A resposta será em sua maioria “mulher gostosa, do estilo Juliana Paes”.

Então, Gisele Bündchen que me desculpe, mas uma coxa grossa vale mais que pernas de graveto e cintura Olívia Palito. Esse mundo ilusório da beleza ideal disseminado pela mídia definitivamente não existe no dia-a-dia. A felicidade não está em uma calça tamanho 36, mas na satisfação de sair com as amigas e comer sem culpa batata-frita com catchup e refrigerante.

Pelo menos no Dia da Mulher assuma quem você é. Ame a si mesma e esqueça o que as outras mulheres pensam de você (pois sabemos que no mundo feminino existe competição entre os seres do mesmo sexo). Fique feliz por não estar neste “mundo da fantasia” apresentado pela mídia onde até se passa fome para manter o peso ou onde a mulher que tem atributos em abundância vira Rainha do Funk. Parabéns a você, Mulher de Verdade!